Proteja seu animal das alergias e da gripe

Cachorro doente

Na onda da preocupação com a gripe, é bom saber que os animais também ficam mais suscetíveis às doenças no inverno e precisam de atenção redobrada.

A gripe canina, também conhecida como traqueobronquite infecciosa ou tosse dos canis, pode estar relacionada a vírus, bactérias, fungos ou parasitas. Atenção para sintomas como tosse, espirros, coriza, febre, perda de apetite e apatia, principalmente em animais muito jovens, idosos ou com a saúde já debilitada por alguma outra doença.

A boa notícia é que a maioria dos animais cura-se sozinho. Para ajudar, mantenha a imunidade de seu cachorro alta, com uma alimentação correta e nutritiva. Outra recomendação é a vacinação com reforço anual. “Várias vacinas estão disponíveis para proteção contra a bactéria Bordetella bronchiseptica, adenovírus canino tipo 2 e vírus da parainfluenza canina, causadores da gripe. Existem vacinas para aplicação intranasal ou uso injetável”, explica Eduardo Pacheco, veterinário formado pela Universidade de Alfenas, especialista em cirurgia pela Unesp e diretor do Hospital Veterinário Santa Inês, de São Paulo.

Recentemente, um subtipo do vírus influenza, o H3N8, causou furor nos Estados Unidos. Em 2004 ele surgiu em cães da raça galgo e agora evidências indicam a circulação em outras raças. Seus sintomas são mais graves que a gripe canina comum, culminando em broncopneumonia. A mortalidade gira em torno de 5%, mas não há relatos desse tipo de gripe canina no Brasil.

Alergias respiratórias

Além da gripe, outros problemas afetam a saúde dos cachorros no inverno. “A umidade relativa do ar diminui e uma grande quantidade de partículas fica em suspensão. Elas são inaladas, agravando os quadros de alergia como bronquites e rinites”, alerta Marcos Eduardo Fernandes, formado em medicina veterinária pela Unesp, especialista em homeopatia veterinária e mestre em saúde pública pela USP. As roupinhas e cobertores, também mais usados nessa época, podem desencadear reações alérgicas.

Especialista dá dicas para evitar que as alergias dermatológicas apareçam na época mais fria do ano:

- Dê banhos nos horários mais quentes do dia, com água morna, utilizando xampus e sabões próprios para cães, pouco agressivos ou irritantes.

- Enxague com bastante água corrente para remover o excesso de sabão e proteja as orelhas com algodão parafinado.

- Atente para eventuais sinais (prurido corpóreo, vermelhidão e descamação) quando colocar roupas nele, pois alguns tecidos podem acarretar ou agravar alergias (principalmente os de lã, seja acrílica ou natural).

- Evite o uso de perfumes.

- Não arranque pêlos do canal da orelha nem faça a limpeza dela com álcool ou éter.

- Use o secador de cabelos em jato frio ou morno, para não queimar a pele do cão.

Fonte: Carlos Eduardo Larsson