Obesidade em cães e gatos

Que dono não adora apertar seu cachorro ou seu gato e perceber como o pet é fofinho? O importante é não confundir fofinho com gordinho. Cães e gatos obesos, assim como os seres humanos, ficam sujeitos a diversos problemas de saúde e ainda tendem a viver menos. Para manter seu animal em boa forma, é simples – simples mesmo! O primeiro passo é moderação e bom senso, especialmente com os cães.

Muitos cachorros exageram até mesmo na ração. Os donos devem seguir à risca as recomendações dos fabricantes em relação a quantia diária de ração. A quantidade poderá ser aumentada ou diminuída conforme a composição corporal do cão ou gato.

Uma boa forma de saber se seu pet está com a composição corporal ideal é apalpar as costelas. Elas devem ser facilmente sentidas conforme você passa os dedos, e possuir uma pequena cobertura de gordura. Ao olhar o seu animal por cima, ele deve apresentar uma cintura bem definida. Caso tenha dúvidas, converse com o médico veterinário

Se os cães ou gatos ainda ganham petiscos ao longo do dia, o correto é até diminuir um pouco a quantia de ração no pote. Afinal, ossinhos e biscoitinhos também têm calorias que acabam ao redor da cintura do animal. Mais: resista bravamente à famosa cara de pidão e não dê comida à mesa para cães ou gatos. Além de ser um péssimo hábito, a comida humana pode sim fazer mal ao bicho, provocando, por exemplo, diarréia.

Gatos em geral tendem a ser mais comedidos. Fazem pequenas refeições diversas vezes por dia, mas cada vez mais gatos gordinhos chegam ao consultório. Para qualquer animal obeso, seja cão ou gato, a recomendação é optar por uma ração própria para obesos e cortar os petiscos e agrados até que ele esteja em forma.

Para ajudar o animal a perder peso, incentive os exercícios físicos, uma volta a mais no quarteirão ou mesmo um brinquedo que o faça correr e se divertir dentro de casa mesmo.